Gestão da UFF recebe líderes do Sintuff para dialogar sobre a greve dos técnicos administrativos

Na manhã desta segunda-feira, 11 de março, a Gestão da UFF recebeu no auditório do 3º andar da Reitoria representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal Fluminense (Sintuff) e o Comando Local de Greve (CLG). A pauta discutida foi a greve dos técnicos administrativos, deflagrada a partir de hoje após aprovação em assembleia realizada no dia 05 de março, em consonância com a Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra).

A greve vem sendo construída nacionalmente, com a adesão dos trabalhadores em educação de inúmeras universidades federais do país, que reivindicam por melhoria salarial, desenvolvimento e reestruturação do plano de carreira da categoria, além de recomposição orçamentária das IFES, dado o contingenciamento de recursos por parte do Congresso e do Governo Federal.

Estavam presentes no encontro representantes do Gabinete da Reitoria, Pró-reitorias e Superintendências, sob a liderança do Vice-Reitor da UFF Fábio Passos, e integrantes do Sintuff e do CLG. Na ocasião, a Gestão da UFF reiterou o respeito ao movimento grevista e à decisão individual de cada servidor em aderir à greve e ainda enfatizou a importância de assegurar a continuidade dos serviços essenciais na universidade: como o pagamento de bolsas, auxílios e apoios de assistência estudantil a discentes de graduação em vulnerabilidade socioeconômica, fornecimento de refeições no Restaurante Universitário e Moradia Estudantil; atendimento em saúde a servidores e estudantes; pagamento de auxílios na área de gestão de pessoas, como auxílio funeral, pensão alimentícia etc; atendimento a demandas judiciais e solicitadas por órgãos de controle, realização de perícias, serviços de manutenção em geral, entre outros definidos pela lei de greve (Lei nº 7.783/1989).

Outros serviços e atividades como os laboratórios, serviços de TI, rede de biotérios e bibliotecas, também foram apresentados como prioritários para o funcionamento da UFF e podem ser mantidos por meio de revezamento ou escalas negociadas entre servidores e chefia. 

Além de apresentar os pontos de pauta da agenda nacional, o Sindicato também abordou questões internas, visando à garantia do direito de greve na universidade, com destaque para a suspensão do controle de frequência dos servidores e a conscientização de que não serão permitidas práticas de assédio moral no ambiente de trabalho, conforme Carta de Apoio aprovada por unanimidade na última reunião do Conselho Universitário (CUV) 

Nos próximos dias, a Administração Central da universidade e o Comando Local de Greve do Sintuff voltam a se encontrar para o alinhamento das propostas expostas, cientes de que o diálogo é fundamental no atual cenário. 

Contamos com a compreensão da comunidade universitária sobre o movimento que se instala local e nacionalmente e manteremos informada sobre as definições conjuntas.

Para saber mais sobre este informativo

Estes são os dados de contato do setor da universidade que escreveu este informativo:

Tags (palavras-chave): 

Avalie esta página

CAPTCHA
This question is for testing whether or not you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
A atualização mais recente deste conteúdo foi em 21/06/2024 - 16:23