Campus do Aterrado - Volta Redonda

Volta Redonda

Notícias e Informes recentes

A história de mulheres negras escravizadas “alugadas” como amas de leite no século XIX

No Brasil, o período escravista perdurou do início do século XVI ao final do século XIX, quando foi promulgada a Lei Áurea, resultante de uma série de levantes da própria população negra, pressão externa inglesa, em busca de um maior mercado consumidor, e de decretos “para inglês ver”, como a Lei Eusébio de Queirós, de 1850, que proibia o tráfico de pessoas do continente africano para o império, mas não a escravidão em si ou o tráfico interno entre as regiões.

Sífilis congênita: estudos alertam sobre casos da doença no estado do Rio de Janeiro

Diagnóstico. Tratamento. Cura. Quando ocorrem de maneira adequada, essas são as etapas que impedem o nascimento de crianças com sífilis congênita, doença evitável que é transmitida para o bebê através da placenta da gestante infectada. Atualmente, o estado do Rio de Janeiro lidera os casos de sífilis congênita no Brasil. Com o objetivo de monitorar os indicadores locais dessa enfermidade de modo aprofundado, a Universidade Federal Fluminense (UFF) investiga a incidência da doença nos municípios do Rio de Janeiro.

Qual a idade dessa obra? Pesquisa estuda a datação de pinturas rupestres por meio da análise de radiocarbono

Pintura rupestre no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí

Para desvendar o passado, cientistas de diversas áreas se baseiam em vestígios deixados por diferentes comunidades não mais existentes na tentativa de entender a forma como esses grupos viviam e os rituais que estabeleciam. Compreender o modo como se organizavam é importante para perceber como as diferentes populações se desenvolveram até o momento. Uma maneira de estudar essas sociedades é por meio das pinturas rupestres, registros geralmente feitos em rochas que representavam a vida cotidiana e as atividades desenvolvidas por essas comunidades.

Primeiro painel do setor automotivo feito por uma universidade brasileira é da UFF

O setor automotivo contratou quase nove mil novos empregados em julho de 2023 no Brasil, número bem próximo ao dos desligamentos, que somam um total de 9,4 mil funcionários no mês. O dado foi retirado do Painel do Setor Automotivo, um projeto pioneiro no Brasil, produzido por uma universidade pública brasileira e idealizado pelos professores de Sociologia Raphael Lima e Cristiano Monteiro da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Cartas mostram o caminho: correspondências de Mário de Andrade versam sobre cultura e literatura brasileiras

Mário de Andrade em sua casa na Barra Funda, em 1935.  Acervo IEB-USP

As correspondências literárias são uma linha de pesquisa no campo acadêmico, constituindo material de relevância por serem fonte de conhecimento dos elementos “nebulosos” das obras literárias. Por isso, através das correspondências, é possível interpretar os escritos de autores renomados da literatura brasileira. O mesmo se aplica às cartas de Mário de Andrade. As correspondências do autor são importantes para pesquisadores e amantes da literatura que desejam conhecer suas obras e a cultura brasileira.

UFF normatiza novos procedimentos para assessoria técnica em arquivos

A Superintendência de Documentação da Universidade Federal Fluminense (SDC/UFF) publicou a Instrução Normativa SDC nº 07 de 19 de setembro de 2023 que dispõe sobre os procedimentos relacionados aos serviços de assessoria técnica em arquivos para as unidades administrativas e acadêmicas da Universidade Federal Fluminense.

Educação antirracista: repensar o ensino e renovar as práticas pedagógicas são caminhos para eliminar o preconceito

O Brasil é um país composto, em sua maioria, por negros e pardos. Mesmo com a inclusão do estudo da história e da cultura afro-brasileira no currículo através da lei 10.639, de 2003, a educação formal ainda reproduz o racismo. Além disso, a cultura digital impulsiona o preconceito relacionado à população negra, tornando necessária a reflexão sobre o racismo no contexto atual. Com a finalidade de intervir nesta realidade, a Universidade Federal Fluminense (UFF) desenvolveu a pesquisa “QUEM NOS OLHA PELOS ESPELHOS?

Páginas