Ministrio da Educao
Brasil - Governo eletrnico
UFF

Noticias do MEC

Fundaj oferta curso de mediação de leitura para professores

Notícias do MEC - qui, 09/21/2017 - 03:01

A Biblioteca Central Blanche Knopf, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), é parceira do curso de Mediação de Leitura, promovido pela Ekó Educação e Cultura, organização pernambucana de assessoria pedagógica. O objetivo é oferecer mais ferramentas para que os alunos se sintam estimulados a ler. “A biblioteca viu a necessidade de promover um curso assim, porque a leitura hoje em dia traz cada vez mais uma questão histórico-social de inclusão", afirma a coordenadora da biblioteca da Fundaj, Nadja Tenório Pernambucano.

O curso vai ao encontro da humanização das relações entre professor, obra e estudante. “A leitura é uma forma de enxergar além do que a sociedade coloca para a gente. Tem um ativismo muito forte em como ela dá possibilidades de nos posicionarmos de forma diferente”, aponta a assessora da Ekó Erica Verçoza, que ministra o curso juntamente com a doutora em biblioteconomia Cida Fernandez.

Cida considera a mediação uma peça fundamental do educador para uma abordagem mais didática. “Entendemos a literatura como essencial para o desenvolvimento humano. Ela cumpre funções essenciais, como a necessidade de fabulação. Se a gente não sonhar, enlouquece”, diz.

Na primeira edição, as aulas foram focadas na capacitação para mediar leitura, mas tanto as professoras quanto os alunos sentiram a necessidade de ir mais adiante. Agora, em sua segunda edição, o curso é dividido em iniciante e avançado e, além de habilitar o mediador, ensina a organizar uma biblioteca escolar, focando na divisão do acervo por cores como forma de classificar os títulos. “Isso estimula a criança a transitar pelo acervo; ela pega livros que teoricamente não são exclusivos de sua faixa etária, então ela é desafiada”, explica Cida.

Para os professores, as aulas já estão mostrando resultado. A aposentada Maria José de Arimatéia afirma ter passado a entender a leitura como um direito, não só como um prazer. “Eu melhorei muito profissionalmente. Antes, eu apenas lia a história; agora, faço intervenções, converso, canto e promovo debates”.

Para Mitafá – eu lírico criado por Fátima Gaspar durante uma contação de história – o curso cria uma responsabilidade maior para com os estudantes na hora de transmitir o conteúdo do livro. “Ele ampliou demais a minha visão como mediadora, como leitora, e como alguém que perpetua o direito humano. Fiz o primeiro e quando surgiu a oportunidade de fazer o avançado não pensei duas vezes".

O curso é ministrado uma vez por ano, de quinze em quinze dias, entre os meses de julho e dezembro, com duração total de 120 horas e direito a certificação. Tanto o iniciante quanto o avançado se dividem em quatro módulos. As vagas são limitadas.

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Fundaj

Categorias: Noticias do MEC

Fundaj oferta curso de mediação de leitura para professores

Notícias do MEC - qui, 09/21/2017 - 03:01

A Biblioteca Central Blanche Knopf, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), é parceira do curso de Mediação de Leitura, promovido pela Ekó Educação e Cultura, organização pernambucana de assessoria pedagógica. O objetivo é oferecer mais ferramentas para que os alunos se sintam estimulados a ler. “A biblioteca viu a necessidade de promover um curso assim, porque a leitura hoje em dia traz cada vez mais uma questão histórico-social de inclusão", afirma a coordenadora da biblioteca da Fundaj, Nadja Tenório Pernambucano.

O curso vai ao encontro da humanização das relações entre professor, obra e estudante. “A leitura é uma forma de enxergar além do que a sociedade coloca para a gente. Tem um ativismo muito forte em como ela dá possibilidades de nos posicionarmos de forma diferente”, aponta a assessora da Ekó Erica Verçoza, que ministra o curso juntamente com a doutora em biblioteconomia Cida Fernandez.

Cida considera a mediação uma peça fundamental do educador para uma abordagem mais didática. “Entendemos a literatura como essencial para o desenvolvimento humano. Ela cumpre funções essenciais, como a necessidade de fabulação. Se a gente não sonhar, enlouquece”, diz.

Na primeira edição, as aulas foram focadas na capacitação para mediar leitura, mas tanto as professoras quanto os alunos sentiram a necessidade de ir mais adiante. Agora, em sua segunda edição, o curso é dividido em iniciante e avançado e, além de habilitar o mediador, ensina a organizar uma biblioteca escolar, focando na divisão do acervo por cores como forma de classificar os títulos. “Isso estimula a criança a transitar pelo acervo; ela pega livros que teoricamente não são exclusivos de sua faixa etária, então ela é desafiada”, explica Cida.

Para os professores, as aulas já estão mostrando resultado. A aposentada Maria José de Arimatéia afirma ter passado a entender a leitura como um direito, não só como um prazer. “Eu melhorei muito profissionalmente. Antes, eu apenas lia a história; agora, faço intervenções, converso, canto e promovo debates”.

Para Mitafá – eu lírico criado por Fátima Gaspar durante uma contação de história – o curso cria uma responsabilidade maior para com os estudantes na hora de transmitir o conteúdo do livro. “Ele ampliou demais a minha visão como mediadora, como leitora, e como alguém que perpetua o direito humano. Fiz o primeiro e quando surgiu a oportunidade de fazer o avançado não pensei duas vezes".

O curso é ministrado uma vez por ano, de quinze em quinze dias, entre os meses de julho e dezembro, com duração total de 120 horas e direito a certificação. Tanto o iniciante quanto o avançado se dividem em quatro módulos. As vagas são limitadas.

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Fundaj

Categorias: Noticias do MEC

Resultado da avaliação quadrienal da pós-graduação brasileira mostra crescimento de cursos

Notícias do MEC - qui, 09/21/2017 - 02:34

A quantidade de cursos de pós-graduação ofertados no Brasil cresceu na última década. Entre os anos de 2007 e 2017, o número de cursos de doutorado saltou de 2.061 para 3.398. Os mestrados acadêmicos tiveram um avanço de 65%, chegando a 2.202 em todo país, ao passo que os mestrados profissionais saíram de 156 para 703, o que demonstra o aumento do interesse dos estudantes por esse tipo de qualificação.

Os números são referentes à primeira etapa da avaliação quadrienal 2017, recém-divulgada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). “O resultado mostra que o sistema vem crescendo e ganhando qualidade. Nosso modelo avaliativo se mostra capaz não só de perceber o avanço da pós-graduação, mas também de apontar necessidades de correção para instituições e programas”, afirma o presidente da Capes, Abílio Baeta Neves. A avaliação abrange os anos de 2016, 2015, 2014 e 2013 e o comparativo se dá com as avaliações dos anos de 2012 a 2010 e 2009 a 2007, as duas últimas, ainda trienais.

A diretora de Avaliação da Capes, Rita de Cássia Barradas Barata, aponta para o peso de um título de pós-graduação no mercado de trabalho. “Fizemos um estudo de egressos para essa avaliação, com os alunos formados a partir de 1996, para saber em qual situação de emprego estão agora. Vimos que a maior parte deles está adequadamente empregada e tem um nível salarial mais alto que a média para as profissões equivalentes no mercado. Isso mostra que a pós-graduação acrescenta valor para os profissionais”, destaca.

Qualidade – O relatório da primeira etapa da avaliação quadrienal 2017 contém ainda as notas dos cursos de pós-graduação. Entre os pontos que merecem atenção, está o crescimento do total de programas de excelência, isso é, cursos que obtiveram notas 6 ou 7 e são considerados de qualidade internacional. Nesse mesmo grupo, é possível observar uma desconcentração dos cursos, que se mostram mais espalhados pelo país. Há dez anos, apenas 12 estados contavam com programas excelentes; hoje, são 16. A região Sul é a única a possuir programas com nível de excelência em todos os seus estados.

Rita de Cássia explica que o objetivo de identificar a qualidade desses programas, ao atribuir notas a eles, é oferecer aos estudantes um panorama do que há de melhor em termos de formação. “Os programas avaliados com notas 1 e 2 são descredenciados, por se entender que não há neles condições mínimas que garantam uma boa formação. Os que obtêm nota de 3 a 5 são tidos como programas de excelência nacional”, acrescentou a diretora.

O processo de avaliação da Capes envolve uma série de etapas anteriores à atribuição de notas, que passam pelas informações recolhidas anualmente pelo órgão. “É a partir disso que vamos gerar uma série de instrumentos que nos permitem qualificar os programas, quantos alunos estão formando, qual a taxa de abandono, qual a quantidade de alunos que se desligam, a produção acadêmica”, ressalta Rita de Cássia.

Nessa última avaliação, estiveram envolvidos 1.550 consultores do Brasil todo, pertencentes a diferentes instituições e áreas de conhecimento. Eles analisaram os 4.175 programas de pós-graduação que estão em funcionamento hoje e que já tiveram pelo menos uma turma formada.

Acesse os resultados da avaliação quadrienal 2017 no portal da Capes.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Resultado da avaliação quadrienal da pós-graduação brasileira mostra crescimento de cursos

Notícias do MEC - qui, 09/21/2017 - 02:34

A quantidade de cursos de pós-graduação ofertados no Brasil cresceu na última década. Entre os anos de 2007 e 2017, o número de cursos de doutorado saltou de 2.061 para 3.398. Os mestrados acadêmicos tiveram um avanço de 65%, chegando a 2.202 em todo país, ao passo que os mestrados profissionais saíram de 156 para 703, o que demonstra o aumento do interesse dos estudantes por esse tipo de qualificação.

Os números são referentes à primeira etapa da avaliação quadrienal 2017, recém-divulgada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). “O resultado mostra que o sistema vem crescendo e ganhando qualidade. Nosso modelo avaliativo se mostra capaz não só de perceber o avanço da pós-graduação, mas também de apontar necessidades de correção para instituições e programas”, afirma o presidente da Capes, Abílio Baeta Neves. A avaliação abrange os anos de 2016, 2015, 2014 e 2013 e o comparativo se dá com as avaliações dos anos de 2012 a 2010 e 2009 a 2007, as duas últimas, ainda trienais.

A diretora de Avaliação da Capes, Rita de Cássia Barradas Barata, aponta para o peso de um título de pós-graduação no mercado de trabalho. “Fizemos um estudo de egressos para essa avaliação, com os alunos formados a partir de 1996, para saber em qual situação de emprego estão agora. Vimos que a maior parte deles está adequadamente empregada e tem um nível salarial mais alto que a média para as profissões equivalentes no mercado. Isso mostra que a pós-graduação acrescenta valor para os profissionais”, destaca.

Qualidade – O relatório da primeira etapa da avaliação quadrienal 2017 contém ainda as notas dos cursos de pós-graduação. Entre os pontos que merecem atenção, está o crescimento do total de programas de excelência, isso é, cursos que obtiveram notas 6 ou 7 e são considerados de qualidade internacional. Nesse mesmo grupo, é possível observar uma desconcentração dos cursos, que se mostram mais espalhados pelo país. Há dez anos, apenas 12 estados contavam com programas excelentes; hoje, são 16. A região Sul é a única a possuir programas com nível de excelência em todos os seus estados.

Rita de Cássia explica que o objetivo de identificar a qualidade desses programas, ao atribuir notas a eles, é oferecer aos estudantes um panorama do que há de melhor em termos de formação. “Os programas avaliados com notas 1 e 2 são descredenciados, por se entender que não há neles condições mínimas que garantam uma boa formação. Os que obtêm nota de 3 a 5 são tidos como programas de excelência nacional”, acrescentou a diretora.

O processo de avaliação da Capes envolve uma série de etapas anteriores à atribuição de notas, que passam pelas informações recolhidas anualmente pelo órgão. “É a partir disso que vamos gerar uma série de instrumentos que nos permitem qualificar os programas, quantos alunos estão formando, qual a taxa de abandono, qual a quantidade de alunos que se desligam, a produção acadêmica”, ressalta Rita de Cássia.

Nessa última avaliação, estiveram envolvidos 1.550 consultores do Brasil todo, pertencentes a diferentes instituições e áreas de conhecimento. Eles analisaram os 4.175 programas de pós-graduação que estão em funcionamento hoje e que já tiveram pelo menos uma turma formada.

Acesse os resultados da avaliação quadrienal 2017 no portal da Capes.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

IFB abre processo seletivo para mais de 2 mil vagas gratuitas

Notícias do MEC - qui, 09/21/2017 - 00:19


Quem quiser fazer um dos mais de 40 cursos técnicos do Instituto Federal de Brasília (IFB) tem entre as 8h desta quinta-feira, 21, e as 18h do dia 20 de outubro para se inscrever. São 2.170 vagas para cursos gratuitos, distribuídas entre os nove campi da instituição. Os interessados devem se cadastrar na página do IFB na internet; a seleção será realizada por meio de sorteio eletrônico no dia 5 de dezembro. O resultado será divulgado no dia 12 do mesmo mês.

São quatro modalidades de cursos. No integrado, o ensino técnico é realizado junto com o ensino médio, no próprio IFB. É voltado para quem já concluiu o ensino fundamental e tem duração média de três anos. Já o integrado-Proeja é destinado a pessoas com mais de 18 anos que concluíram o ensino fundamental, mas não terminaram o ensino médio. A duração também é de três anos.

Na modalidade concomitante, o estudante faz o curso técnico no IFB e o ensino médio em outra instituição ao mesmo tempo. A duração é de um a três anos. E o técnico subsequente é voltado para quem já concluiu o ensino médio. Nesse caso, os cursos têm duração de um a dois anos.

As vagas estão distribuídas nos nove campi do IFB no Distrito Federal:  Brasília, Ceilândia, Estrutural, Gama, Planaltina, Riacho Fundo, Samambaia, São Sebastião e Taguatinga. As aulas terão início no primeiro semestre de 2018.

Quem quiser obter mais informações sobre os cursos e fazer a inscrição pode acessar a página eletrônica do IFB. “No ato da inscrição, a pessoa vai poder assistir a um vídeo sobre o curso do seu interesse e ter acesso às dúvidas mais frequentes”, explica o reitor Wilson Conciani. Ele também orienta que os candidatos visitem o Conecta IF 2017, evento promovido pelo IFB no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília, que vai até o dia 23. A vantagem, segundo o reitor, é ter a oportunidade de conhecer estudantes e professores do IFB e tirar suas dúvidas em relação aos cursos e à instituição.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Comitê Gestor do Fies garante melhor governança do programa

Notícias do MEC - qua, 09/20/2017 - 23:34


O Ministério da Educação segue aprimorando o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Dentro desse contexto, a criação do Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil (CG-Fies) é mais um passo para que o Novo Fies entre em vigor em 2018, promovendo acesso à educação superior para quem mais precisa, com garantia de sustentabilidade do programa a longo prazo. O CG-Fies foi instituído por meio de um decreto assinado nesta quarta-feira, 20, pelo presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, e publicado no Diário Oficial da União (DOU). 

O principal objetivo do CG-Fies é formular a política de oferta de financiamento estudantil e supervisionar a execução das operações do Fies, que terá um novo formato a partir do próximo ano, conforme a Medida Provisória nº 785/2017, em tramitação no Congresso Nacional. Pela MP, o financiamento passará a ser ofertado em três modalidades de contrato a partir de 2018, com taxas de juros, número de vagas e renda familiar específicos para cada uma delas.

“O governo federal reestruturou o programa e agora o Fies tem um novo modelo, mais sustentável, com mais governança e uma gestão melhor. O CG-Fies vem para somar a isso. Assim, nós teremos regras melhores, tanto do agente operador quanto do agente financeiro”, explica o secretário-executivo adjunto do MEC, Felipe Sigollo.

O CG-Fies será composto por três representantes do Ministério da Educação, dois do Ministério da Fazenda, dois do Ministério do Planejamento e um representante da Casa Civil. “O MEC coordena e preside o colegiado, mas temos agora a participação da Fazenda, do Planejamento e da Casa Civil. Tudo para melhorarmos a governança, a gestão e darmos sustentabilidade ao financiamento estudantil para beneficiar muitos estudantes por todo o país”, completa Sigollo. A intenção é que os membros do CG-Fies sejam escolhidos até o fim deste mês. A primeira reunião do comitê deve ser marcada para o início de outubro.

Atribuições – Uma das atribuições do comitê é elaborar o planejamento do financiamento estudantil por meio de um plano trienal. Esse plano deverá conter as diretrizes gerais do Fies para o período, com a quantidade anual de vagas e as prioridades de atendimento.

O plano trienal conterá também o mapeamento de riscos cobertos, os parâmetros e as disposições contratuais necessárias; os porcentuais ou valores de financiamento à educação superior; a estimativa e o monitoramento do aporte global de recursos financeiros e o impacto fiscal no curto e no médio prazos; e o período de aplicação do plano, inclusive a data limite para liquidação das obrigações financeiras junto às instituições de educação superior antes do encerramento do exercício financeiro.

Ainda de acordo com o decreto publicado nesta quarta, caberá ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao MEC, celebrar os instrumentos contratuais vinculados ao Fies com as instituições financeiras públicas federais, na qualidade de interveniente, e exercer a fiscalização da execução dos contratos.

Vagas – No total, o Novo Fies vai garantir 310 mil vagas em 2018, das quais 100 mil a juro zero, para estudantes com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Na primeira modalidade de contrato, o Fies terá um fundo garantidor com recursos da União e ofertará 100 mil vagas por ano, com juro zero para os estudantes que tiverem uma renda per capita mensal familiar de três salários mínimos. O aluno começará a pagar as prestações respeitando sua capacidade, com parcelas de aproximadamente 10% de sua renda mensal. Com essa mudança, o MEC vai garantir uma economia mínima de R$ 300 milhões por ano com taxas operacionais.

Na segunda modalidade, o Fies terá como fonte de recursos fundos constitucionais regionais, para alunos com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos, com juros baixos e risco de crédito dos bancos. Serão ofertadas 150 mil vagas em 2018 para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Já na terceira, serão fontes de recursos o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e os fundos regionais de desenvolvimento das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com juros baixos para estudantes com renda familiar per capita mensal de até cinco salários mínimos. O risco de crédito também será dos bancos. Serão ofertadas 60 mil vagas no próximo ano. Nessa modalidade, o MEC discute com o Ministério do Trabalho uma nova linha de financiamento que pode garantir 20 mil vagas adicionais em 2018.

Acesse o decreto que cria o CG-Fies, publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 20.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Portal Britannica Escola oferece capacitação on-line a professores

Notícias do MEC - qua, 09/20/2017 - 21:45

A equipe pedagógica do portal Britannica Escola fará mais três treinamentos on-line voltados a professores da educação básica nos dias 26, 27 e 28 de setembro. As inscrições são gratuitas e os professores podem escolher o horário mais conveniente para participar da capacitação. Cada sessão apresenta conteúdos por cerca de 60 minutos. 

Periodicamente, são realizados encontros durante os quais a equipe explica aos docentes como utilizar as ferramentas digitais da Britannica Escola em sala de aula e também nas atividades complementares. Somente no primeiro semestre deste ano foram realizadas 15 sessões de capacitação com 528 participantes. Em agosto, 182 participantes concluíram os treinamentos nas três sessões realizadas. Já em 2016, foram 18 aulas de capacitação online do portal, com 163 participantes.

Parceria – O portal Britannica Escola é uma parceria da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com a Encyclopædia Britannica, uma das mais conhecidas e conceituadas editoras do mundo.

Ao acessar a interface da Britannica Escola, alunos e professores poderão utilizar, durante o processo de aprendizado, ferramentas de ensino e recursos multimídia disponíveis no portal, como artigos de enciclopédia, imagens e vídeos, atlas do mundo, biografias, notícias diárias voltadas para as crianças, recursos interativos de geografia, jogos interativos, entre outros. O portal é todo em português e gratuito.

Confira, na página da Capes, as próximas capacitações e os respectivos links para inscrição. 

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes

Categorias: Noticias do MEC

Inscrições para curso do Pnae terminam nesta quarta, 20

Notícias do MEC - qua, 09/20/2017 - 17:55


Terminam nesta quarta-feira, 20, as inscrições para o curso do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), organizado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao MEC. O cadastro é gratuito e as aulas são realizadas na modalidade a distância.

Voltado para nutricionistas, conselheiros, merendeiras, gestores em educação, secretários de educação, professores, técnicos em prestação de contas e demais profissionais que atuam na alimentação escolar, o curso começa em 1º de outubro e vai até o dia 31 do mesmo mês. O objetivo é construir conhecimento teórico e prático em operacionalização, controle social e acompanhamento do Pnae.

Durante as aulas, que terão carga horária de 60 horas, serão abordadas questões relacionadas à política pública e ao histórico da alimentação escolar no Brasil. O papel do nutricionista e suas responsabilidades em relação à conservação dos alimentos, com menção ao cardápio da alimentação escolar, é outro destaque. As formas de gestão, os repasses de recursos financeiros às escolas e o processo de aquisição de produtos alimentícios também serão tratados. Fazem ainda parte do aprendizado temas relacionados a agricultura familiar, etapas da prestação de contas e o papel do controle social, por meio do Conselho de Alimentação Escolar (CAE).

O formulário de inscrição está disponível na página do FNDE.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Programa vai debater inclusão de estudantes com deficiência

Notícias do MEC - qua, 09/20/2017 - 15:51

Como as instituições de ensino têm lidado com a inclusão social de crianças e jovens com algum tipo de deficiência será tema de debate no programa Salto para o Futuro, a ser exibido pela TV Escola nesta quinta-feira, 21. Participam do encontro o secretário especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Marco Pellegrini, e a diretora de Políticas de Educação Especial, Patrícia Raposo, ambos do Ministério da Educação. Essa edição do programa faz parte de uma grade especial preparada para marcar o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência.

Ao longo de todo o dia 21, a emissora vai exibir documentários, séries e programas que abordam a realidade da pessoa com deficiência e as políticas públicas para a garantia de seus direitos. Além das legendas descritivas presentes nos programas já exibidos pela TV Escola, vários desses especiais terão audiodescrição. Entre os destaques do dia, está o lançamento do documentário Outro Olhar, cuja exibição vai ocorrer em dois horários, às 7h30 e às 18h35. O vídeo conta a história de uma estudante gaúcha com síndrome de Down.

A grade infantil da TV Escola também terá programação especial. Na série O que são as coisas, o personagem Hugo imagina um mundo perfeito em que todas as crianças olham, pensam e agem como ele. Os amigos Lili e Félix o ajudam a descobrir que a variedade é o tempero da vida. Já na animação Mimi e Lisa, são contadas as aventuras de Mimi, uma menina cega que, junto à amiga Lisa, descobre um mundo de aventuras e fantasias. Também estarão disponíveis vários episódios de Punky, primeira série de animação a trazer como personagem principal uma menina com Síndrome de Down.

Data – O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência foi instituído em 1982 e oficializado pela Lei nº 11.133/2005. A data foi escolhida para coincidir com o Dia da Árvore, como representação do surgimento das reivindicações sobre cidadania. Segundo o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 45 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência.

Assessoria de Comunicação Social 

Categorias: Noticias do MEC

Prêmio Marco Maciel homenageia instituições que contribuem para transparência e ética

Notícias do MEC - qua, 09/20/2017 - 04:25




Reconhecer as instituições que contribuem de maneira ética e transparente para a melhoria da relação público-privada é a proposta do Prêmio Marco Maciel: Ética e Transparência entre o Público e o Privado. A premiação é promovida pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig) e foi lançada nesta terça-feira, 19, com a participação do ministro da Educação, Mendonça Filho. 

Para Mendonça Filho, apoiar iniciativas que promovam a transparência e a ética é bom para o cidadão, para as instituições e para o Brasil. “Qualquer exercício que estimule a cidadania, a transparência, os papéis dos poderes e dos representantes que de certo modo recebem influência democrática da sociedade organizada devem obedecer regras de transparência e de responsabilidade e de compromisso social”, disse. 

Advogado, professor e político brasileiro, Marco Maciel, 77 anos, é natural de Pernambuco. Foi vice-presidente da República entre os anos de 1995 a 2002 e ministro da Educação entre 1985 e 1986. Além disso, foi deputado estadual, deputado federal, senador e governador de Pernambuco. Atualmente, integra a Academia Brasileira de Letras. Ele foi representado durante o lançamento do prêmio pelo primo, o jurista Everardo Maciel. A esposa do político, Anna Maria Maciel e os filhos também estiveram presentes. A Abrig, que homenageia o político por meio do prêmio, reúne profissionais de relações institucionais e governamentais interessados em serem representantes da área no debate público sobre a participação da sociedade civil e do setor privado nos processos de decisão política. 

Para o presidente da Abrig, Guilherme Cunha da Costa, a homenagem a Marco Maciel é mais do que merecida pela sua trajetória política e pela contribuição dada por ele à sociedade. “O senador Marco Maciel é um ícone da vida política desse país. Honrou Pernambuco, honrou o Brasil, honrou todos os cidadãos buscando sempre o interesse coletivo e é mais do que merecida essa homenagem a ele. Fora isso, como se não bastasse, foi a pessoa que em 1984 propôs um projeto de lei para que se regulamentasse a participação da sociedade nas políticas públicas”.

 Essa é a primeira edição do prêmio, que é dividido em cinco categorias: instituição pública, instituição privada, relações institucionais e governamentais, veículos de comunicação e academia. Os três melhores colocados em cada uma receberão um certificado e estarão automaticamente convidados a participar, sem custo de inscrição, de cursos e seminários da Abrig até agosto de 2019.

O período de inscrições vai de 1 de outubro a 30 de maio de 2018. Já o resultado será divulgado no dia 17 de julho de 2018 e a cerimônia de premiação está prevista para ocorrer em 17 de agosto do mesmo ano. Podem participar profissionais e instituições, com trabalhos produzidos entre 1º de fevereiro de 2017 e 30 de abril de 2018. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail contato@abrig.org.br

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Seminário aborda educação como forma de melhorar indicadores

Notícias do MEC - qua, 09/20/2017 - 00:29

Representantes do Ministério da Educação estiveram presentes nesta terça-feira, 19, no seminário 20 anos do Código de Trânsito Brasileiro, em Brasília. O encontro foi promovido pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, com o objetivo de avaliar os resultados alcançados durante as duas décadas da legislação. O evento é realizado durante a Semana Nacional de Trânsito, que ocorre entre os dias 18 e 25 de setembro.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), ocorrem 47 mil mortes no trânsito por ano no Brasil e cerca de 400 mil pessoas ficam com alguma sequela. O Observatório Nacional de Segurança Viária calcula que os acidentes de trânsito custam ao Brasil cerca de R$ 56 bilhões.

O diretor substituto de Currículos e Educação Integral e coordenador-geral de Ensino Médio da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC, Wisley Pereira, que representou o ministro Mendonça Filho no evento, lembra a importância da educação para mudar esse cenário. “Qualquer mudança significativa dos indicadores que temos hoje no Brasil precisa passar pela educação. Por isso, precisamos garantir a formação integral dos nossos estudantes”, disse.

Durante o seminário, o MEC recebeu uma coleção de 20 livros encomendados pelo Ministério das Cidades e produzidos pelo Observatório Nacional de Segurança Viária. Uma equipe do órgão vai avaliar o material e fazer adaptações, caso necessário, para que as obras possam ser enviadas a escolas de todo o país. A intenção é auxiliar no processo de mudança de cultura e ajudar a reduzir a violência no trânsito.

Semana – Minha escolha faz diferença no trânsito é o tema deste ano da Semana Nacional do Trânsito. O objetivo é alertar a sociedade sobre os altos índices de mortos e feridos e propor atitudes que mudem essa realidade. Nesses dias, órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito promovem eventos em todo o país.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

MEC fará transmissão ao vivo para tirar dúvidas sobre o Encceja

Notícias do MEC - ter, 09/19/2017 - 23:07

Para tirar as dúvidas sobre as mudanças no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) de 2017, o Ministério da Educação vai fazer uma transmissão ao vivo no Facebook nesta quarta-feira, 20, com a participação da diretora de Gestão e Planejamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Eunice Santos.

A partir das 19h30, a diretora vai responder perguntas relacionadas ao Encceja enviadas pelos internautas. Será uma oportunidade para tirar dúvidas, inclusive, sobre as mudanças de data e horário do exame. Nesta terça-feira, 19, o MEC anunciou que o Encceja Nacional 2017 será aplicado em 19 de novembro – a data prevista anteriormente era 22 de outubro.

A mudança foi necessária devido ao atraso na homologação da licitação, o que inviabilizou a distribuição dos participantes nos locais de prova dentro do cronograma. O Encceja para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa (Encceja PPL) também mudou; agora, será aplicado nos dias 21 e 22 de novembro.

Acesse a página do MEC no Facebook.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Parceria do MEC com empresa alemã capacitará professores

Notícias do MEC - ter, 09/19/2017 - 18:11

Em parceria com a empresa alemã ME-LE Energietechnik GmbH, especializada na área de biogás, o MEC iniciou nesta terça-feira, 19, o programa de capacitação de multiplicadores em aproveitamento energético de biogás na agricultura. A meta é formar instrutores para atuar na implantação de cursos relacionados com a produção de biogás a partir de resíduos agrícolas e seu aproveitamento energético.

Com esses novos cursos, a Rede Federal de Educação contribuirá com a formação de profissionais e o treinamento de recursos humanos para o atendimento a esses setores. “Essa parceria com a ME-LE é muito importante e busca uma maior integração entre a nossa rede com o setor produtivo”, explica o diretor de Desenvolvimento da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC, Romero Portella Raposo Filho.

Na avaliação do diretor, o maior beneficiado com a parceria é o aluno e, por consequência, o professor. “Conseguimos abrir as portas de um centro tecnológico como a ME-LE para que nossos alunos tenham aulas na prática, e saibam como aquilo funciona na realidade; e ao mesmo tempo, conseguimos capacitar também o nosso professor”, destaca.

Multiplicadores – O gerente de projetos de ME-LE no Brasil, Christian Belt, conta que quando chegou ao Brasil, há cerca de três anos, a empresa alemã descobriu um potencial enorme na área de biogás. “Apesar desse potencial, o conhecimento na área aqui ainda é muito fraco”, avalia. “Essa parceria com o MEC visa treinar esses professores e transformá-los em multiplicadores. A ideia é transformá-los em futuros especialistas na área de biogás.”

Nesta primeira etapa do programa, serão ofertadas dez vagas para professores da rede federal e mais dez para professores do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Após avaliação curricular, eles serão indicados pelas próprias instituições de ensino. O curso será semipresencial e executado por instrutores da ME-LE Akademie, braço de formação profissional do grupo ME-LE entre outubro de 2017 e junho de 2018.

Ao longo deste período, haverá semanas de trabalho presenciais no curso, com passagens e hospedagem custeadas pela ME-LE, a partir de apoio do banco de desenvolvimento alemão KfW DEG. As atividades presenciais serão realizadas no campus Ribeirão das Neves do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG).

Outras parcerias – Romero Portella Raposa Filho ressalta que hoje já existe uma internacionalização da rede federal de educação profissional e lembra que a Setec fechou parcerias com países como Canadá, Finlândia, Estados Unidos, Alemanha, Austrália e Noruega. “Evoluímos muito nessa área nos últimos anos. Temos parceria com vários países com expertise na educação profissional e que vêm nos ajudando a desenvolver projetos e a capacitar os nossos profissionais de uma maneira bastante intensa e qualificada”, conclui o diretor da Setec. 

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Exames têm novas datas de aplicação em todo o Brasil

Notícias do MEC - ter, 09/19/2017 - 16:54


O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja Nacional) 2017 será aplicado em 19 de novembro, e não mais em 22 de outubro. A mudança de data foi necessária em função de um atraso na homologação da licitação, o que inviabilizou a distribuição dos participantes nos locais de prova dentro do cronograma. Também terá nova data o exame para pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa (Encceja PPL): 21 e 22 de novembro. A retificação foi publicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) no Diário Oficial da União desta terça-feira, 19.

Igualmente os horários do Encceja Nacional e do Encceja Nacional PPL foram alterados pelo Inep, para garantir que todos os candidatos possam acessar os locais de prova com mais comodidade e segurança – já que o exame será aplicado durante o período de vigência do horário de verão em vários estados. Como o horário oficial de Brasília é a referência em todas as unidades da federação, em alguns municípios da região Norte, como no Acre, os participantes teriam de chegar aos locais de prova três horas mais cedo. Dessa forma, os horários do turno matutino e vespertino foram atrasados em uma hora.

O Encceja Nacional 2017 será aplicado para 1.573.862 pessoas. Dessas, 301.583 farão provas para o ensino fundamental e 1.272.279 para o ensino médio. O exame abrange 564 municípios distribuídos em todos os estados. 

Confira, abaixo, o quadro com os horários de aplicação das provas.

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep 

Categorias: Noticias do MEC

Inscrições para cursos on-line de língua alemã estão abertas

Notícias do MEC - ter, 09/19/2017 - 01:00


Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 18, o edital referente ao processo seletivo para cursos on-line de língua alemã ofertados pelos núcleos de línguas das universidades federais e estaduais credenciadas pelo programa Idiomas Sem Fronteiras – Alemão (IsFAlemão). As inscrições são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pela internet até as 12h (horário de Brasília) do dia 27 de setembro. As aulas terão início em 23 de outubro.

Podem se candidatar alunos de graduação e pós-graduação, técnicos e docentes ativos. A divulgação dos resultados está prevista para o dia 2 de outubro, a partir das 12h, na página eletrônica do programa. Em caso de desistência de selecionados, serão realizadas outras chamadas sucessivas, por ordem de classificação, por meio do e-mail informado no ato da inscrição.

As universidades convocarão os candidatos para a confirmação de matrícula e reunião de orientação entre os dias 2 e 7 de outubro. Os selecionados receberão um e-mail com informações sobre como deverão fazer o registro no curso. Não será possível se cadastrar antes do recebimento da mensagem.

O cronograma completo está disponível na página do IsF, que também contém o formulário de inscrição nos cursos.

O edital pode ser acessado no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 18

Assessoria de Comunicação Social 

Categorias: Noticias do MEC

Selecionadas instituições que vão oferecer formação continuada

Notícias do MEC - ter, 09/19/2017 - 00:45


O Ministério da Educação divulgou nesta segunda-feira, 18, a lista de instituições federais de educação superior que foram selecionadas para oferecer cursos de formação continuada, em nível de aperfeiçoamento, com foco na prevenção e combate à violência, ao preconceito e à discriminação no ambiente escolar. Cada projeto receberá até R$ 300 mil.

Foram selecionadas as universidades federais da Paraíba (UFPB), do Tocantins (UFT), do Paraná (UFPR) e do Rio de Janeiro (UFRJ). Todas as instituições aderiram ao Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos e já têm o comitê gestor constituído. Ao todo, o MEC recebeu 47 propostas de 32 instituições federais.

“Todas as propostas recebidas foram de altíssima qualidade. O que a gente percebeu foram universidades e institutos federais engajados no tema”, elogiou a coordenadora-geral de Direitos Humanos da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Patricia Mollo. De acordo com ela, a exigência é que o trabalho de conclusão seja de intervenção na escola. “Assim, o MEC vai poder acompanhar indiretamente as escolas que estão sendo beneficiadas com a formação daqueles profissionais.”

 Cabe às instituições selecionadas, com o apoio da Secadi, a articulação com as secretarias de educação para a indicação das escolas, professores e demais profissionais da educação que vão participar dos cursos nas instituições formadoras. É necessária a presença de, pelo menos, um gestor escolar e dois professores da mesma escola.

Calendário – As instituições que não foram contempladas têm até 25 de setembro para recorrer. A avaliação dos recursos será entre os dias 26 de setembro e 2 de outubro. A divulgação da classificação final sairá em 3 de outubro.

O edital prevê que as aulas tenham início no primeiro semestre de 2018. Como se trata de um curso de especialização a distância, deve ter, no mínimo, 180 horas, sendo pelo menos 27 horas presenciais.

Cada projeto deverá atender 250 inscritos divididos em até cinco polos de atendimento, totalizando cerca de mil estudantes. As turmas deverão ser compostas, preferencialmente, por profissionais que estejam atuando em sala de aula. Os projetos de conclusão de curso deverão ser voltados para a própria escola onde o profissional trabalha. As dúvidas podem ser tiradas por meio do e-mail edital.edh@mec.gov.br.

O resultado está disponível na página da Secadi.    

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

MEC abre inscrições para vagas remanescentes nesta segunda, 18

Notícias do MEC - seg, 09/18/2017 - 23:30


O Ministério da Educação abriu nesta segunda-feira, 18, as inscrições para 35 mil vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) referentes ao segundo semestre de 2017. Os prazos variam conforme a modalidade em que o estudante se encaixa.

No total, o MEC ofertou 79 mil novas vagas para o Fies neste segundo semestre de 2017. “O número é superior ao mesmo período do ano passado, quando 75 mil oportunidades foram ofertadas”, afirma o diretor de Políticas e Programas de Educação Superior do Ministério da Educação, Vicente Almeida Júnior. “As vagas remanescentes são aquelas que não foram preenchidas durante o processo regular e poderão ser ocupadas em qualquer curso e turma das instituições de uma determinada mantenedora”, explica.

Poderão concorrer aqueles que tenham participado de alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) desde 2010, obtido nota mínima de 450 pontos nas provas e tirado mais que zero na redação. Além disso, é necessário comprovar renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.

As inscrições deverão ser feitas exclusivamente por meio eletrônico, na página do Sistema de Seleção do Fies (FiesSeleção). Depois, nos dois dias úteis subsequentes, elas terão que ser concluídas pelo candidato por meio do Sistema Informatizado do Fies (Sisfies).

Veja o cronograma completo:

- 18 a 21 de setembro - estudantes inscritos no Fies no segundo semestre de 2017 e não foram beneficiados, desde que não tenham curso superior;

- 19 a 21 de setembro - inscritos no Fies no segundo semestre de 2017, que já quitaram financiamento anterior e que não são graduados;

- 20 e 21 de setembro - participantes do Fies no segundo semestre de 2017, que já possuem curso superior e não foram beneficiados pelo financiamento anteriormente;

- 21 de setembro – inscritos no Fies no segundo semestre de 2017, que já possuem curso superior e quitaram o financiamento estudantil anterior;

- 22 a 25 de setembro - alunos não graduados que nunca foram beneficiados pelo Fies e que pretendem obter financiamento em um curso em que não estão matriculados;

- 23 a 25 de setembro - estudantes não graduados que quitaram financiamento estudantil anterior e que desejam conseguir financiamento em curso que não estão matriculados;

- 24 e 25 de setembro - graduados que nunca foram contemplados com o Fies e que pretendem financiar um curso em que não estão matriculados;

- 25 de setembro - estudantes com curso superior que tiveram o financiamento estudantil quitado anteriormente e que desejam financiar mensalidades de um curso em que não estão matriculados; 

- 22 de setembro a 28 de dezembro – candidatos sem curso superior que pretendem financiar a graduação e que nunca foram beneficiados pelo Fies;

- 23 de setembro a 28 de dezembro - estudantes não graduados que tenham quitado financiamento estudantil anterior e que desejam obter o Fies em curso superior em que estão matriculados;

- 24 de setembro a 28 de dezembro – graduados que estão matriculados e pretendem obter o financiamento, desde que nunca tenham sido beneficiados com o Fies;

- 25 de setembro a 28 de dezembro – participantes graduados que já pagaram o financiamento estudantil anterior e que desejam financiar o curso em que estão matriculados. 

As vagas que não forem ocupadas até as 23h do dia 28 de novembro serão redistribuídas entre todas as instituições participantes do Fies.

Acesse o FiesSeleção para se inscrever e o Sisfies para validar a inscrição. 

Confira o edital no Diário Oficial da União.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Programação da semana inclui tecnologia, imigração e literatura

Notícias do MEC - seg, 09/18/2017 - 23:15

Tecnologia, imigração e literatura estão entre os temas que abrem a semana na Hora do Enem, da TV Escola. O programa é apresentado por Land Vieira e exibido de segunda a sexta-feira, às 7h, 13h e 18h. Os episódios ficam disponíveis no portal da TV Escola, nos aplicativos de celular e no canal da emissora no YouTube.

Nesta segunda-feira, 18, o assunto abordado é o Unonu, uma plataforma que conecta refugiados a oportunidades de trabalho e facilita o processo de legalização no país. O aplicativo foi vencedor de um hackathon (maratona de criação de projetos de tecnologia) da Organização das Nações Unidas (ONU), em março deste ano.

Dentro da mesma linha, a terça-feira, 19, será dedicada aos professores Vinícius Mayo e Devyson Carvalho, que falarão sobre imigração e pensamento social brasileiro. O debate se dará a partir da revisão de uma questão do Enem 2016. O programa também trará uma entrevista com o sociólogo João Marcelo Ehlert Maia, sobre a importância dos estudos sobre pensadores brasileiros para o exame deste ano.

Já na quarta-feira, 20, o foco estará na literatura infantojuvenil; as professoras Vanessa Reis e Josi Motta revisarão questões sobre interpretação de texto. Além disso, haverá um bate-papo com o escritor Alexandre de Castro Gomes, que trocou de profissão para seguir sua paixão pela literatura.

No programa especial Dia da Luta da Pessoa com Deficiência, na quinta-feira, 21, o Hora do Enem mostrará como as ciências da natureza são inclusivas e apresentará uma conversa com o professor Aires Silva sobre o ensino da química em Braille. No mesmo dia, o espectador poderá acompanhar um papo com o professor de física Éder Camargo, que tem deficiência visual, mas não abre mão do trabalho em sala de aula. O dia especial terá, ainda, a história de Eduarda Emmerick, a primeira aluna com deficiência visual do curso de biologia da PUC-Rio.

Para encerrar a semana, a sexta-feira, 22, se dedicará à redação, sobre como usar a literatura brasileira para conseguir uma nota mil. O programa terá a participação da professora Julia Lucca, que explicará como extrair dos livros bons argumentos para dissertações.

Para assistir aos episódios na internet, basta acessar o portal da TV Escola ou o canal da emissora no YouTube.

Assessoria de Comunicação Social 

Categorias: Noticias do MEC

MEC anuncia vencedores da Medalha Paulo Freire

Notícias do MEC - seg, 09/18/2017 - 19:37


Por meio de portaria recentemente publicada no Diário Oficial da União (DOU), o MEC anunciou os nomes dos vencedores da Medalha Paulo Freire – iniciativa que reconhece e estimula experiências relevantes para a alfabetização e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Brasil. As ações vencedoras da edição de 2017 do prêmio têm representantes de Goiás, Mato Grosso, Paraná e Ceará. Ao todo, 58 trabalhos participaram da seleção.

O coordenador de Jovens e Adultos da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Rodrigo Siqueira de Oliveira, informa que o MEC, além de organizar o concurso, também está entre os avaliadores. Na fase nacional, é realizada uma visita às instituições que executam na prática os projetos.

“Conseguimos enxergar de forma mais próxima como é feita a oferta da Educação de Jovens e Adultos, de como está sendo executada a experiência; e, se for uma experiência válida e exitosa, é interessante estimularmos a permanência dela”, explica Siqueira.

A EJA é oferecida a partir dos 15 anos para o público de ensino fundamental e, para o ensino médio, a partir dos 18 anos. De acordo com o coordenador da Secadi, tais modalidades ainda enfrentam desafios quando são analisados os números compilados em diferentes regiões do país: “A EJA tem uma carência grande. Mais de 50 milhões de pessoas não têm a escolaridade completa, até o ensino médio, no país. Hoje são praticamente três milhões de matriculados na Educação de Jovens e Adultos. Ou seja, a demanda é muito maior que a oferta”.

Medalha – Os autores de experiências vencedoras da edição 2017 da Medalha Paulo Freire ganham a peça em bronze. Em uma das faces aparece a imagem do educador, e na outra, a frase: “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.

A premiação tem caráter exclusivamente cultural, o que exclui qualquer modalidade de sorteio ou pagamento aos concorrentes. A data e o local da cerimônia, em Brasília, serão divulgados em breve.

Os nomes das instituições ganhadoras podem ser vistos aqui.

Assessoria de Comunicação Social

Categorias: Noticias do MEC

Coordenadores têm capacitação a partir desta segunda-feira, 18

Notícias do MEC - seg, 09/18/2017 - 19:22

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) abre nesta segunda-feira, 18, o segundo módulo da capacitação a distância do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017. O curso é direcionado a coordenadores de local de prova e assistentes.  

Com 30 horas de duração, o módulo deve ser concluído até a véspera da aplicação do exame, em 4 de novembro. A capacitação apresenta todo o procedimento do exame, com várias novidades para a edição deste ano.

Já até sexta-feira, 22, estará aberto o módulo para coordenadores estaduais e municipais do Enem. E em 4 de outubro, o Inep abre o terceiro e quarto módulos do curso, destinado aos chefes de sala, aplicadores e aplicadores especializados.

Além do curso a distância, coordenadores estaduais e municipais passam por capacitação presencial, realizada nos meses de agosto e setembro. No dia da aplicação, os coordenadores de local de prova repassam os principais procedimentos com os chefes de sala, aplicadores e aplicadores especializados.

Novidades – Com 6.731.203 inscritos, o Enem 2017 terá as provas realizadas em 5 e 12 de novembro, em dois domingos consecutivos – o que é uma das principais novidades desta edição do exame. Com a alteração – até o ano passado, as provas eram feitas no sábado e no domingo –, encerra-se a aplicação especial para sabatistas.

Outra novidade deste ano é a estreia das provas personalizadas com nome e número de inscrição do participante. Haverá ainda um novo recurso de acessibilidade, a videoprova traduzida em Língua Brasileira de Sinais (libras). A prova de redação, por sua vez, passa a ser aplicada no primeiro dia do exame.

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

Categorias: Noticias do MEC

ENADE 2017

Listas de alunos inscritos:

- Iniciantes Licenciatura e Bacharelado

- Concluintes Licenciatura

- Concluintes Bacharelado

Alunos iniciantes e concluintes deverão se cadastrar no site do INEP/MEC para responder a um questionário.

Link para o site do INEP/MEC: http://enade.inep.gov.br/enade/#!/index

Os alunos concluintes, além de responderem ao questionário, deverão fazer prova no dia 26 de novembro.

 Os estudantes que desejem solicitar atendimento especializado ou específico para realização da prova, entretanto, devem fazer esta solicitação através do sistema até o dia 03 de setembro, conforme o Edital do ENADE 2017

 

 

 


 

 

Conteúdo sindicalizado